Ciarte > Conferencias e comunicações >

A matéria de que é feita a cor – Os pigmentos utilizados em pintura e sua identificação e caracterização

Conferência / palestra

Organização / Evento

Instituto Politécnico de Tomar, 1.os Encontros de Conservação e Restauro – Tecnologias

Local

Instituto Politécnico de Tomar, 18 de Maio de 2000

Resumo

Os pigmentos utilizados em pintura, que em grande parte são materiais inorgânicos cristalinos, podem ser identificados através de diversos métodos de análise, dos quais os mais frequentemente usados são: análise microquímica, difractometria de raios X, espectrometria de raios X, espectroscopia de absorção de infravermelho e espectroscopia de difusão de Raman. Esta identificação pode fornecer informações úteis à história da arte e, ainda que em menor número de casos isso tenha sucedido, à conservação e restauro. Cada um destes métodos tem simultaneamente vantagens e limitações, que são apresentadas na óptica do utilizador dos resultados, as quais levam a que em diferentes situações diferentes sejam as escolhas que se revelam como mais adequadas. Fornecer algumas indicações que possam ajudar o historiador ou o conservador a orientar-se perante uma obra concreta e compreender as limitações da opção tomada no que toca à identificação dos pigmentos, eis o principal objectivo da comunicação. Ainda que sejam menos exploradas, são também referidas outras possibilidades de caracterização dos pigmentos, para além da identificação propriamente dita, as quais envolvem quer aspectos de natureza química quer propriedades físicas.

Documentação

Texto