Ciarte > Outras actividades >

Direcção da revista Conservar Património

 

Artigos
no
prelo

Indentificação da revista ^

Website da revista ^

http://revista.arp.org.pt

Indexação e referenciação ^

Características e objectivos da revista ^

A revista Conservar Património é uma revista com periodicidade semestral que pretende proporcionar um espaço aos conservadores-restauradores para a divulgação regular dos seus estudos e actividades. Porém, numa época em que a conservação e restauro tenta desenvolver-se através da colaboração com outras áreas, designadamente, a história da arte, a arqueologia, a museologia, a química, a física, a biologia e outras disciplinas da área das ciências naturais e sociais, a revista igualmente acolhe as contribuições com qualquer outra proveniência desde que incidam sobre a as múltiplas dimensões das obras que constituem o património cultural. Abordagens teóricas da actividade da conservação também se enquadram nos interesses da revista.

A revista Conservar Património é uma revista científica. Por isso, as contribuições submetidas para publicação são, de uma forma geral, anonimamente avaliadas por pares com vista, precisamente, à manutenção do patamar de qualidade que pretende erguer e manter. Ainda que publicada pela ARP, as suas páginas estão abertas a todos, independentemente de pertencerem ou não a esta associação.

A partir do n.º 17, a revista adoptou um suporte digital e disponibiliza na Internet, com acesso livre, os artigos logo que os mesmos são aceites, mesmo antes de estar composto o número da revista que vão integrar (artigos no prelo).

A revista tem as seguintes secções, conforme a natureza e o fôlego das contribuições:

Embora a revista privilegie a utilização da língua portuguesa, entre outras razões, para poder contribuir para o estabelecimento e fixação de um vocabulário técnico em português relacionado com a conservação e a materialidade das obras, podem igualmente ser publicadas contribuições noutros idiomas, designadamente, inglês, francês, espanhol ou italiano. Os textos em português podem ser escritos em qualquer uma das variantes (variante do português europeu anterior ao acordo ortográfico, variante do acordo ortográfico ou variante brasileira).